top of page

Ignorar ou reconhecer?



Depois de ter ensinado o seu cão durante meses ou anos a ficar excitado quando chega a casa, por falar alto, por brincar ativamente ou por elevar os braços para ele não chegar aos seus sacos, chega o dia em que considera que é melhor ele mudar porque agora magoa, porque os seus avós vão a sua casa regularmente ou porque a sua filha agora assusta-se.


Começa então a falar mais baixo quando chega a casa, deixa de brincar com o seu cão, mas o cão não altera, continua a saltar. Começa a zangar-se, a falar alto para ele, mas o cão fica ainda mais excitado.

Vai falar com um amigo ou consultar a internet e dizem-lhe que deve ignorar o cão e que ao fim de uns dias o caso está resolvido! E se não está é porque não está a ignorar como deve ser…

Conhece este filme?

Aprendeu já uma lição: os cães não mudam de comportamento fácil e rapidamente. Tal como nós, humanos!

Aprendi há muito anos que em conflito aberto, ou seja, quando as pessoas estão em estados emocionais intensos, nunca se deve ignorar e simplesmente virar as costas, porque isso faz aumentar a fúria. Algo deve ser comunicado de forma a dizermos o que estamos a sentir em relação ao assunto.

A reação do nosso cão quando chegamos a casa não é resultado de conflito, mas o seu estado emocional é também intenso, ele quer a todo o custo obter a nossa atenção. Se ignoramos, provavelmente vamos aumentar a agitação através da frustração.

Nós somos o centro dos seus mundos. É cruel passarmos a ignorar estes seres com quem partilhamos a nossa casa, que todos os dias demonstram tanta felicidade pela nossa chegada ao lar. Que sentido fará para o cão ignorar este afeto/cumprimento/lisonja/alegria?

Este comportamento de excitação é resultado de aprendizagem. Como referi acima, muitas vezes eles saltam e ladram quando chegamos a casa porque quando eram cachorros nós fazíamos uma grande festa, ou seja, reforçamos muito esse comportamento. Contudo, eles crescem e deixa de ser aceitável.

Se vai começar a viver com um cão, tenha rotinas e seja previsível!

Se desde o início fizer sempre as mesmas coisas, na saída e entrada em casa, ele irá corresponder. Não recompense a excitação, mas sim a calma.

Todos os elementos da família devem atura da mesma maneira, se alguém quebrar, não funciona. É como na educar crianças, segue o mesmo princípio! Ou todos ou nenhum!


Se desde o início o seu cão aprende que as pessoas quando entram em casa falam com ele, - "Olá Bobby, como foi o teu dia?", pousam as suas coisas calmamente, tiram os sapatos e a seguir vão dar uma festa quando ele anda com as 4 patas no chão à nossa volta, esta sequência passa a ser o expectável e rapidamente passa a rotina!

Se quer mudar o comportamento do seu cão, tenha paciência e persistência.

Primeiro tem de mudar a si próprio e só depois pode esperar que ele mude.

Existem algumas formas de atuar que com repetição vão trazer frutos:

  • entrar em casa de forma calma, nos gestos e voz

  • sentar no chão ao nível deles ou então ter um banco ou cadeira na entrada para sentar, assim o cão já não precisa de saltar porque está próximo de nós

  • permanecer calmo enquanto é recebido com todo aquele amor e alegria!

Cumprimente sempre o seu cão, reconheça o afeto que tem por si e ensine-o a expressar-se de forma menos efusiva.

Seja o melhor guardião!


93 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page